O projeto Pharma.GPS, da Glintt Inov, é um dos 10 finalistas do Santa Casa Challenge | Edição Covid-19, que destaca projetos de combate ao isolamento de idosos.

Esta iniciativa é uma edição extra do concurso anual de inovação digital que premeia projetos de impacto social e ambiental, e surgiu para fomentar soluções digitais inovadoras de combate ao isolamento social dos idosos provocado pelo novo coronavírus e que possam responder às suas necessidades específicas.

O Pharma.GPS foi um dos vencedores do Hacking Health, o primeiro hackathon dedicado à área da saúde em Portugal, realizado pela Glintt Inov em outubro passado. Baseado em tecnologia Oracle, o projeto é um assistente virtual – um chatbot – que pretende facilitar o acesso aos cuidados de saúde, o controlo das receitas médicas e a interação das pessoas com a sua farmácia. A partir da informação da Receita sem Papel, o Bot identifica os produtos e as farmácias mais perto que poderão aviar o pedido; desta forma, através de linguagem natural, o Bot irá orientar o utilizador de forma intuitiva para obter a medicação, agilizando o início do plano de tratamentos.

Em tempo recorde, o Santa Casa Challenge reuniu 74 projetos candidatos de todo o território nacional e ilhas, internacionais (Brasil, Itália e Reino Unido, Bélgica e Alemanha), que concorrem a um prémio que pode ir até 100 mil euros. A short list conta com projetos desenvolvidos por novos e experimentados empreendedores, mas também empresas como a Altice, Glintt Inov e Fujitsu e ainda os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde em áreas tão diversas como gamificação, plataformas de gestão de informação e staff, SaaS, Inteligência Artificial e aplicações mobile ligadas à área farmacêutica, à inclusão para apoio à deslocação dos idosos, ao apoio e monotorização, robotização social, telemonitorização digital e acompanhamento em tempo real de seniores doentes crónicos, entre outros.

“Recebemos dezenas de candidaturas e o mais interessante foi perceber que o empreendedorismo e a responsabilização deste desafio não ficou apenas para os empreendedores, mas também para gigantes tecnológicas e o Estado, o que demonstra o interesse da sociedade civil e empresas públicas e privadas em querer agir e contribuir para a solução. Faremos agora o que nos cabe: apoiar e potenciar o empreendedorismo e inovação social, neste caso direcionado a uma população que está a ser fortemente impactada pela pandemia”, explica Inês Sequeira, diretora da Casa do Impacto. “Vamos selecionar e apoiar as soluções que se mostrarem mais aptas para fazer face ao isolamento dos idosos de forma definitiva”.

Os vencedores serão conhecidos no dia 27 de maio, numa sessão de pitch pública transmitida em direto na página de Facebook da Casa do Impacto, às 15h00. A avaliar os projetos estará um painel de júri composto por elementos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e do sector.