Novidades a bordo do Perseverance!🚀


No passado dia 30 de Julho de 2020, o rover Perseverance foi lançado em direção a Marte, aterrando a 18 de Fevereiro de 2021 na cratera de Jezero. É um rover muito mais complexo e de maiores dimensões do que os seus precedentes, com os objetivos da missão sendo: i) explorar um local de aterragem geologicamente diverso, ii) avaliar condições de habitabilidade passadasiii) procurar sinais de vida, particularmente em rochas conhecidas pela sua capacidade de preservar vida ao longo do tempo, iv) recolher amostras rochosas e de solo que possam ser enviadas para a Terra em missões futuras, v) demonstrar tecnologias para futuras explorações robótica e humanas. 

Equipamentos do Perseverante

Em comparação com missões anteriores, esta missão pretende dar seguimento à procura de sinais de vida e de condições antepassadas que fossem ótimas para albergar vida, no entanto, este rover possui ferramentas muito mais poderosas do que os seus antecessores, que permitem uma análise mais sensível do solo de Marte para responder a estas questões.  

O sistema Mastcam-Z é um equipamento de imagiologia estereoscópica e panorâmica com capacidade de zoom, que permite estudar a mineralogia da superfície marciana e assistir nas operações do rover. O SuperCam permite analisar composições químicas, mineralogia e realizar imagiologia à distânciaO Planetary Instrument for X-Ray Litochemistry (PIXL) é um espetrómetro de fluorescência por raios-X e termógrafo de alta resolução que vai permitir detetar e analisar elementos químicos dos materiais da superfície do solo marciano com uma elevada resoluçãoO Scanning Habitable Environments with Raman & Luminescence of Organics and Chemics (SHERLOC) é um espetrómetro de ultravioleta que através da técnica de espectroscopia de Raman vai permitir mapear mineralogia e compostos orgânicos. O Mars Environmental Dynamics Analyzer (MEDA) é um conjunto de sensores atmosféricos para estudar o vento, partículas de pó, humidade, etc. O Radar Imager for Mars’ Subsurface Experiment (RIMFAX), é um radar que permite estudar a estrutura do subsolo [6].  

Duas grandes novidades...

O Mars Oygen in-situ Resource Utilization Experiment (MOXIE) é um sistema que pretende demonstrar a capacidade de converter o CO2 atmosférico em O2, semelhante ao processo que acontece com as árvores na Terra [7]Nunca antes em explorações planetárias foi testado o conceito de produzir moléculas em oxigénio com base nos recursos do planeta, no entanto, este é um conceito fulcral para que os seres humanos possam explorar marte fisicamente e possivelmente colonizar o planeta, uma vez que para além da viagem da Terra para Marte, é necessário realizar a viagem de regresso. Esta viagem de retorno implica a existência de uma nave com combustível suficiente para concluir a viagemExiste a possibilidade de antecipadamente enviar para Marte todos os recursos necessários para a viagem de regresso, como por exemplo, reservas de combustível, no entanto a logística desta tarefa seria muito morosa e dispendiosa, pelo que a solução ideal seria produzir o próprio combustível no planeta.  

Oxigénio líquido é um combustível de naves espaciais com um historial de utilização bem-sucedido e muito estudado pelos cientistas, assim, produzir oxigénio líquido em Marte seria a solução ideal. Seguindo esta ideia, o MOXIE é o primeiro passo a dar para demonstrar a exequibilidade de obter O2 a partir do CO2 atmosférico, uma vez que apenas consegue produzir 10 gramas de O2 durante 1 hora de operações. Ainda mais, ao consumir o CO2 disponível na atmosfera, num futuro, seria possível tornar a atmosfera marciana mais adequada para a existência de seres vivos que não sobrevivem em atmosferas saturadas de CO2. 

…e a segunda grande novidade

É Ingenuity, um helicóptero que não pesa mais do que 1.8 kg, capaz de voar até 300 m de altura uma duração máxima de tempo de voo de um minuto e meio. Pela primeira vez na história da exploração espacial, vai ser testado um voo minimamente assistido por humanos num planeta que não a Terra.

Voar em Marte é um desafio hercúleo uma vez que a densidade da atmosfera de Marte é cerca de 1% da densidade da atmosfera terrestre, o que implica que os rotadores do helicóptero tenham que girar mais vezes por minuto para gerar força suficiente para descolar, o que por sua vez implica maior consumo de energia por parte do equipamento e possíveis problemas de integridade estrutural. Para além disso, como o helicóptero possui dimensões reduzidas, variações de temperatura bruscas, como as que acontecem nas 24 horas e 39 minutos de um dia no planeta vermelho onde durante o dia podem variar entre os 20 °C e os -127 °C, ou condições atmosféricas desfavoráveis como ventos fortes e poeiras, podem fazer com que o teste falhe. No entanto, estas condições foram consideradas durante os 7 anos de desenvolvimento do Ingenuity, pelo que o teste que se aproxima possui uma chance elevada de sucesso [8].

Valorizar a ciência na Terra e por consequência a vida das pessoas

A missão da Perseverance tem um custo estimado de cerca de quase 3 mil milhões de dólares, que apesar de ser uma quantia avultada, situa a missão marciana na terceira posição comparativamente com todas as missões enviadas a Marte pela NASA [9]. Apesar do custo, o valor produzido por esta missão para o ser humano vai para além do conhecimento sobre minerais e solos de outros planetas. Os desafios tecnológicos que tiverem que ser conquistados, como por exemplo a miniaturização dos equipamentos a bordo da Perseverance como o PIXL ou o SHERLOC, o desenvolvimento de rotores robustos o suficiente para permitirem voar na atmosfera marciana, baterias eficientes capazes de fornecer energia aos sistemas eletrónicos, ou até mesmo o desenvolvimento do MOXIE, levaram à produção de conhecimento científico que pode ser utilizado para valorizar a ciência na Terra, e por consequência a vida das pessoas.  

Nas últimas semanas, os cientistas do Jet Propulsion Laboratory (JPL) têm recebido vários dados da Perseverance, entre eles, pela primeira vez, sons dos ventos de Marte, cuja atmosfera pode ser fustigada por tempestades que duram dias. Esses sons podem ser ouvidos aqui.  

Um marco na exploração espacial

O futuro desta missão é muito promissor e um marco na exploração espacial, que até mesmo num futuro próximo pode vir a responder à questão existencial de Arthur Clarke. O Universo é vasto, a vida é rara e preciosa, se a Perseverance não conseguir encontrar provas de que não estamos sozinhos no Universo, isso não significa que a missão foi um fracasso, apenas indica que temos que dar continuidade à nossa demanda por conhecimento e através da cooperação entre países e estima pela vida na Terra, seguindo em direção ao espaço.  


Referências

[1] ESA – Comparing the atmospheres of Mars and Earth 

[2] This new map of ice on Mars could guide future astronauts | Space 

[3] Mars orbiter finds evidence of ancient, long-lived rivers on the Red Planet | Space 

[4] How long does it take to travel to Mars? – A Mission to Mars – Mars One (mars-one.com) 

[5] How many Rovers are on Mars? Find out everything about these rovers (republicworld.com) 

[6] Mars 2020 Perseverance Rover – NASA Mars 

[7] Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment (MOXIE) – NASA Mars 

[8] Mars Helicopter – NASA Mars 

[9] How expensive is the NASA Mars rover Perseverance mission? | World Economic Forum (weforum.org) 

Autoria by Luís Carlos Costa