Problema:

A prescrição medicamentosa para muitas das especialidades é altamente repetitiva, no entanto, é algo que hoje em dia continua a consumir entre 2 a 3 minutos por consulta.
Uma meta-análise publicada em 2012 refere que a ocorrência de discrepâncias medicamentosas atinge até 70% dos doentes admitidos ou com alta hospitalar, considerando que cerca de um terço destas discrepâncias têm potencial para causar dano ao doente.

Resolução:

O HALS é um sistema de inteligência artificial, cujo objetivo é sugerir ao médico terapêutica baseada no histórico das prescrições. O algoritmo deve ser capaz, mediante o input de amostras de informação clínica relacionada com a prescrição de medicamentos, aprender como se estabelece a relação entre contextos de doentes (sexo, idade, histórico clínico, diagnósticos atuais…) e os medicamentos a prescrever.Por fim, mediante o input de um contexto de um doente, o algoritmo deve sugerir uma terapêutica. O grande objetivo do projeto é otimizar as tarefas do médico, retirando a necessidade de repetir todo o processo de criar prescrições do zero constantemente.

Benefícios:

Automatização da prescrição medicamentosa;
Redução do tempo de consulta em 10-15%;
Aumento do foco do médico no paciente.