Problema:

A utilização de medicamentos está longe de ser considerada segura, mesmo quando utilizados de acordo com as indicações terapêuticas. Muitos dos erros relacionados com medicamentos verificam-se no momento de transição entre níveis de cuidados, devido a falhas de comunicação entre o doente e os profissionais de saúde relativamente à sua medicação habitual.
Uma meta-análise publicada em 2012 refere que a ocorrência de discrepâncias medicamentosas atinge até 70% dos doentes admitidos ou com alta hospitalar, considerando que cerca de um terço destas discrepâncias têm potencial para causar dano ao doente.

Resolução:

O MedOn é uma plataforma para implementação do processo de reconciliação terapêutica, na transição entre cuidados de saúde. À entrada do hospital o médico poderá consultar a terapêutica que o doente está a tomar e ajustá-la da forma mais correta, assim como à saída, registar a terapêutica que deve ser continuada pelo doente.
A terapêutica prescrita à saída vai ficar disponível aos doentes através da App MedOn, que contará também com uma funcionalidade de controlo de tomas. Toda esta informação ficará também disponível aos farmacêuticos para validação.

Benefícios:

Foco na avaliação do paciente;
Otimização de recursos;
Redução dos erros com a medicação;
Promove a adesão à terapêutica;
Maior segurança na transição de cuidados de saúde.

Designação do projeto: MedOn – Reconciliação Terapêutica
Número do projeto: 17655
Objetivo principal: Desenvolver um sistema de Reconciliação Terapêutica irá aumentar a segurança na utilização da medicação, reduzir os erros e discrepâncias relacionados com os medicamentos
Região de intervenção: Norte e Centro
Entidades beneficiárias: Glintt HS (promotor líder), Centro Hospitalar Cova da Beira
Data de aprovação: 23-08-2016
Data de início: 14-12-2016
Data de conclusão: 31-03-2019
Custo total elegível: 576685,68
Apoio financeiro da União Europeia: FEDER – 315567,34