Wireless Biomonitoring Stickers and Smart Bed Architecture: Towards Untethered 

O objetivo é desenvolver e validar adesivos eletrónicos na pele que aderem à epiderme humana e recolhem dados fisiológicos e comportamentais como um meio de transformar a saúde digital do paciente através da monitorização sem fios.

Resolução:

O projeto WoW propõe uma nova arquitetura centrada numa série de adesivos de biomonitorização para pacientes, incluindo adesivos sem fio, simples e impressos a baixo custo. Nesta arquitetura, as camas hospitalares dos pacientes terão um papel central. Estas serão equipadas com uma unidade inteligente IoT, que fará parte de uma infraestrutura de informação e comunicação, interligando vários adesivos de biomonitorização a um Sistema de Informação Hospitalar.

Parceiros:

O projeto é um exemplo de uma colaboração verdadeiramente interdisciplinar com claros impactos económicos e sociais. A Glintt é a empresa líder do projeto. Como utilizador final, o projeto WoW integra o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o maior hospital do país com um reconhecido historial de I&D e inovação. O projeto irá dar seguimento à colaboração com o Laboratório de Materiais Flexíveis (Majidi) da Carnegie Mellon University, um dos 5 principais laboratórios do mundo nesta área. O Instituto de Sistemas e Robótica de Coimbra conduz as atividades TIC em 3 laboratórios: Laboratório de Microeletrónica Flexível e Impressa (Tavakoli) com histórico em eletrónica impressa e saúde digital, assim como o Laboratório de Energia (Almeida & Alberto) e o grupo de IA & IoT (Portugal & Peixoto). Na Universidade de Coimbra, contam com o grupo de polímeros (Coelho & Serra) para síntese e caracterização de polímeros.

Financiamento:

O projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Programa Parcerias Internacionais – CMU Portugal, envolvendo um investimento da Glintt de 371 mil euros o que resultou num incentivo FEDER de 197 mil euros. Este projeto arrancou em abril de 2020 e irá terminar em março de 2023.